ITAMAR ASSUMPÇÃO

Discografia

1980-2010

Dicionário Cravo Albin2

Francisco José Itamar de Assumpção

 

406926544[1]Compositor. Cantor. Instrumentista. Arranjador. Produtor.

Aos 12 anos mudou-se para Arapongas (PR), onde estudou contabilidade, abandonando o curso para atuar em teatro e shows em Londrina. Nesta cidade conheceu Arrigo Barnabé. Autodidata no violão, apaixonou-se pelo baixo ouvindo os discos de Jimmy Hendrix. Mudou-se para São Paulo em 1973.

Dados Artísticos

Em 1975, venceu um festival de música em Campinas com sua canção “Luzia” e participou do Festival da Feira da Vila, em Vila Madalena, com sua composição “Nego Dito”. Integrou a vanguarda paulistana, formada no Teatro Lira Paulistana, ao lado de Arrigo Barnabé e da banda Sabor de Veneno. Em 1979, apresentou no Festival de Música Popular, o último realizado pela extinta TV Tupi, a canção “Sabor de veneno”, ao lado de Arrigo Barnabé.

Misturando samba, reggae, funk e rock, lançou, nos anos 1980, acompanhado da banda Iscas de Polícia, os LPs “Beleléu, Leléu, e eu” (1980), “Às próprias custas S. A.” (1983), “Sampa midnight – Isso não vai ficar assim” (1986) e “Intercontinental! Quem diria! Era só o que faltava” (1988) . Suas letras, marcadas por uma crítica contundente, e a música de pouco apelo comercial, acabaram dando-lhe uma aura de “artista maldito”, alcunha que sempre recusou. Em 1987, estreou como produtor no primeiro LP da cantora Fortuna. Quatro anos depois, produziria o LP “Amme”, de Alzira Espíndola.

No início da década de 1990, passou a ser acompanhado pelo grupo Orquídeas do Brasil, com o qual lançou, em 1993, o CD “Bicho de sete cabeças” e, em 1994, o CD “Bicho de sete cabeças vol. 2”.

Faleceu no dia 12 de junho de 2003.

 

LEIA MAIS NO DICIONÁRIO CRAVO ALBIN DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA

Pesquisa da discografia: Quadrada do Canturis

Acervo online

DISCOGRAFIA

Playlist com 12 álbuns completos de 12 listados.

REGISTROS

Vídeos de shows, entrevistas, apresentações e etc …

DISCOGRAFIAS: ARMAZÉM MEMÓRIA

 

TUDO GEOPOLÍTICO

Geopolítica é a congruência entre demasiados grupos de estratégias adotadas pelo estado para administrar seu território, e anexar a geografia cotidiana com a história. Desta forma, Geopolítica é um campo de conhecimento multidisciplinar, que não se identifica com uma única disciplina, mas se utiliza principalmente da Teoria Política e da Geologia e Geografia ligado às Ciências Humanas e Ciências Sociais aplicadas. (Wikipédia)