Descumprimento da sentença da OEA sobre crimes da ditadura militar.

Caros Azenha e Conceição Lemes, no Brasil a verdade foi colocada a serviço da impunidade,via e-mail

A negativa do governo em cumprir a sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos sobre o caso Araguaia e rever os impedimentos legais que ferem a cidadania e os direitos humanos, negando acesso à justiça àqueles que desejarem processar torturadores e assassinos da ditadura militar, reafirmando a posição do STF na ADPF 153 que interpretou a lei de Anistia de 79 como sendo de dupla mão, é um acinte.

No Congresso Nacional na Comissão de Relações Exteriores mais um golpe a favor da impunidade será dado. O PL da Deputada Luiza Erundina será enterrado amanhã. O voto do substitutivo produzido pelo Deputado Ivan Valente, não foi levado em consideração e as chances dele ser aprovado são ínfimas.

Expresso aqui posição e exijo o CUMPRA-SE.

Enquanto nos mobilizamos para discutir a criação da Comissão da Verdade o prazo da sentença que condenou o Brasil por crimes de lesa-humanidade se expira e as forças políticas que poderiam atuar se perdem no caminho proposto para abafar, para esconder, para enganar a sociedade sobre a condenação que sofremos.

PELA APROVAÇÃO DO PL da DEPUTADA LUIZA ERUNDINA.

PELO CUMPRIMENTO INTEGRAL DA SENTENÇA DA OEA SOBRE OS CRIMES DA DITADURA CIVIL-MILITAR.

PELA COMISSÂO DA VERDADE COM JUSTIÇA (e isso só será fato se por justiça entendermos não algo teórico e sim o cumprimento dos pontos que nos condenaram enquanto nação e fundamentamentalmente a desobristrução da justiça para que torturadores sejam processados).

Não há direitos humanos pela metade, ou temos compromisso com ele ou não. O Governo Dilma está em cheque neste campo.

Abraços

Marcelo Zelic

Vice-presidente do Grupo Tortura Nunca Mais-SP e membro da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo

Coordenador do Projeto Armazém Memória

Fonte: Marcelo Zelic: Verdade a serviço da impunidade – Viomundo – O que você não vê na mídia