Diretor do Grupo Tortura Nunca Mais faz um balanço do relatório da Comissão Nacional da Verdade

 

Waimiri Atroari TV Brasil

O Amazônia Brasileira desta quinta-feira (15) recebe Marcelo Zelic, Diretor do Grupo Tortura Nunca Mais. Ele faz um balanço do resultado da Comissão Nacional da Verdade (CNV), em particular no que diz respeito à violação dos direitos dos povos indígenas do Brasil que foram afetados diretamente, e em todo o país, pelas consequências da ditadura no país.

Ele acaba de retornar de uma viagem ao território do povo Tupinambá, na Bahia, que sofreu diversos ataques dos sucessivos governos militares, inclusive de uma política local que seguia os mesmos padrões do Governo Federal da época.

O Grupo Tortura Nunca Mais tem questionado, ao lado de outras organizações de defesa dos direitos humanos, o resultado do relatório sobre os povos indígenas, que teria sido muito incipiente para o número e a gravidade dos casos de violência sofridos por todos os povos àquela época. Houve prisão, tortura, desterro, e há casos em que os índios chegaram a ser atacados por bombas de napalm em suas aldeias.

Algumas consequências dessas violações são sentidas até hoje, como no caso dos Waimiri Atroari, que foram atacados pelo exército brasileiro por via aérea, para que saíssem do território onde foi construída, para o transporte de minérios, a BR 174, motivo de conflito entre esse povo e a população local até os dias atuais.

Os grupos de defesa dos direitos humanos querem também saber da compensação que cabe a esses povos e que providências serão tomadas nesse sentido. Ele nos conta como estão as discussões em relação a isso, e relata as consequências gerais do relatório da CNV.

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira a partir das 08h na Rádio Nacional da Amazônia, em rede com a Rádio Nacional do Alto Solimões, onde é transmitido ao vivo às 05h. A produção e a apresentação são de Beth Begonha.

Produtor
Beth Begonha