Bem vindos e bem vindas ao nosso acervo virtual. Boa Pesquisa

QUEM SOMOS

O Armazém Memória surge em 2001 com a elaboração deste centro de referência. O trabalho iniciou-se com o mapeamento da documentação do Projeto Brasil Nunca Mais realizado entre 1979-1985. Em 2005 foi publicado o site na internet, junto com outros 4 centros e que resultou em 2013 no lançamento do BNM Digital com toda documentação disponível à consulta online, realizado em parceria com o Ministério Público Federal e Arquivo Público do Estado de São Paulo, tendo também muitos outros parceiros. Até final de 2014 foram 3,3 milhões de páginas pesquisadas.

Em 2013 consolida-se o trabalho de reunir a documentação mapeada sobre a Anistia de 1979 e através do projeto Marcas da Memória – Acervo Virtual da Anistia, apresentado à Comissão da Anistia do Ministério da Justiça o site com o conteúdo digitalizado foi organizado e lançado durante as comemorações dos 36 anos da Anistia no Brasil em 2015.

Este centro é uma ferramenta pedagógica para o fortalecimento da justiça de transição, para que o país crie raízes democráticas mais profundas em nossa sociedade e aprofunde a consciência do Nunca mais em nosso país.

zida pelo estado durante a ditadura militar, no âmbito da justiça de transição, além de fonte de informação para levantamento histórico e estabelecimento da verdade, é muitas vezes, elemento probatório em processos judiciais que envolvem direitos indígenas, contribuindo para a efetivação da justiça e a reparação aos povos atingidos por violações de direitos humanos nos processos desenvolvimentistas e de expansão econômica de nossa sociedade.

Dada a violência que ocorre sistematicamente contra os povos indígenas, este centro de referência é prioridade em nossas atividades de resgate de conteúdo histórico frente aos demais temas documentados no Armazém Memória, pois o acesso à memória histórica recente, é um elemento importante na defesa dos direitos das comunidades atingidas e fator de avanço na construção da democracia e do respeito aos direitos territoriais, culturais e de livre organização dos povos indígenas, que resistem num Brasil onde o Nunca Mais encontra-se cada dia mais distante.

HISTÓRICO DO CENTRO DE REFERÊNCIA

  • 2005: Digitalização do Relatório BNM e das Fotos do arquivo físico na UNICAMP. Projeto desenvolvido em parceria com o Instituto Paulo Freire e financiamento da FINEP. Registramos nossa homenagem a Michel Labaki.
    2010: Organização da Mostra Virtual de Vídeos Brasil Nunca Mais disponibilizando quase 100 filme digitalizados a partir de fitas de VHS dos arquivos de entidades como o Grupo Tortura Nunca Mais do Rio de Janeiro e São Paulo, Comissão Justiça e Paz – SP, Arquivo Público do RJ, Arquivo Nacional. Realizado em Parceria com o Instituto de Políticas Relacionais e a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.
  • 2013: Lançamento do BNM Digital com toda documentação reunida durante o projeto por Charles Harper.
  • 2014: Inicio de monitoramento de vídeos relacionados ao centro disponibilizados por terceiros no youtube, dobrando o conteúdo do acervo iniciado em 2010.
  • 2015: Lançamento do Acervo Virtual da Anistia.

CENTRO DE REFERÊNCIA VIRTUAL

BRASIL NUNCA MAIS

  

 

  

ACERVO REUNIDO

Bibliotecas.

Anais das Constituintes

Documentos das Assembléias Constituintes realizadas em 1946,1967 e 1988.

42.384 páginas.

Arquivo Nacional

Documentos produzidos pelo Estado brasileiro e órgãos de informação.

489.202 páginas.

Comissões da Verdade

Documentos e relatórios de comissões da verdade instaladas no Brasil.

30.324 páginas.

Documentos

Arquivos, fundos, coleções produzidos na esfera pública e no exterior.

94.553 páginas.

Biblioteca

Livros recolhidos ao acervo do Armazém Memória, incluindo versão militar.

21.284 páginas.

Legislação

Atos Institucionais e Atos do Comando Supremo da “Revolução”.

46 páginas.

Recortes de Jornais

Coleções de recortes de jornais de instituições públicas.

163 páginas.

Acervos Pessoais

Documentos reunidos por advogados e militantes políticos.

6.056 páginas.

PROCESSOS DO STM

Íntegra digital do projeto Brasil Nunca Mais.

Realizado entre 1979-1985.

848.076 páginas.

“Visando a objetividade, renunciamos a todo material de caráter pessoal e fomos aos registros que ninguém pode desmentir.”

Dom Paulo Evaristo Arns

Tarefa Inacabada

“Denunciar todas as formas e manifestações de violência na sociedade, a fim de que se preserve a dignidade do ser humano e se construa condições para uma nova sociedade onde prevaleçam a Justiça e a Paz”.

Jaime Wright

COLEÇÕES DE INTERESSE

Bibliotecas de apoio. Conteúdos disponibilizados na internet pelas instituições de guarda.

Hemeroteca Digital Brasileira

59.023.183 páginas

Manuscritos

1.381.628 páginas

Coleções de Várias Instituições

136.279 páginas

Museu do Índio

625.421 páginas

Anais de Várias Instituições

57.205 páginas

Coleção Documentos Históricos

45.374 páginas

Revista Conjuntura Econômica

111.851 páginas

Cordelteca

41.412 páginas

Folclore

157.070 páginas

Hemeroteca RADIS (1980-2013)

283.451 páginas

Registros Paroquiais de Terras RJ

11.004 páginas

FILMOTECA

Canal Armazém Memória

Catálogo de filmes sobre a ditadura civil-militar de 1964-1985 .

O que realmente é o fascismo

Lew Rockwell Todo mundo sabe que o termo fascista é hoje pejorativo; um adjetivo frequentemente utilizado para se descrever qualquer posição política da qual o orador não goste.  Não há ninguém no mundo atual propenso a bater no peito e dizer "Sou um fascista;...

Fascismo não se dialoga, se combate

O que vocês está dizendo? Está dizendo para pegarmos nossos tacos de baseball e sairmos na rua como guerreiros medievais das cruzadas em busca dos hereges inimigos? Nada disso, há muito tempo tenho defendido aqui o combate ao Fascismo através das idéias, como forma de...

Ditadura e violação dos direitos dos povos indígenas do Brasil | EBC

Diretor do Grupo Tortura Nunca Mais faz um balanço do relatório da Comissão Nacional da Verdade   O Amazônia Brasileira desta quinta-feira (15) recebe Marcelo Zelic, Diretor do Grupo Tortura Nunca Mais. Ele faz um balanço do resultado da Comissão Nacional da...

Documentos Secretos da Ditadura | | TV Brasil

Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) expirou o prazo estabelecido pela Lei de Anistia para que arquivos secretos da ditadura continuassem fechados. Entretanto, no final do seu segundo mandato, FHC criou uma lei que estabelecia sigilo por tempo...

XVII ENPDC: Encontro Nacional de Procuradoras e Procuradores dos Direitos do Cidadão.

PALESTRANTES ALEXANDRE AMARAL GAVRONSKI Procurador Regional dos Direitos do Cidadão no Rio Grande do Sul ÁLVARO LOTUFO MANZANO Procurador da República (PR/TO) ANALÚCIA HARTMANN Procuradora da República (PR/SC) CARLOS EDUARDO DE OLIVEIRA...

ESPECIAIS

Um resgate coletivo da história.

FOTOGRAFIAS

Álbuns e Coleções

Paulo Freire - Educar para Transformar

Exposição organizada pelo Instituto Paulo Freire no âmbito do Projeto Memória patrocinado pela Fundação Banco do Brasil. 18 Fotos. (2005)

Projeto Brasil Nunca Mais

Exposição organizada pelo CEDIC da “Para que nunca se esqueça, para que nunca mais aconteça.” Dom Paulo Evaristo Arns. 44 Fotos. (2011) 

Mãos Anônimas

Homenagem aos trabalhadores anônimos que fizeram as cópias de todas as 900 mil páginas dos 710 processos do Superior Tribunal Militar. As imagens foram recolhidas pelo Armazém Memória durante os trabalhos para publicação do BNM Digital. O operador do xerox deixou suas mãos registradas em uma página que dizia:

“Para realizar-se cada um depende dos demais. Solidariedade. 14/05/1968 Tempestade Mental – Conscientização”. 13 Fotos. (2013) 

BNM - Fotografias dos Processos

Em 2005 o Armazém Memória ao organizar o Centro de Referência Virtual Brasil Nunca Mais, realizou a digitalização das fotografias do projeto BNM sob guarda do Arquivo Edgard Leuenrouth em Campinas. As fotografias contidas nestes 6 álbuns, fazem parte do acervo do projeto Brasil: Nunca Mais doado por Dom Paulo e Jaime Wright à Unicamp nos anos 80.  166 fotos. (2005)

Cartazes da Anistia

Esta coleção reúne de forma digital cartazes produzidos durante a luta pela Anistia de 1979. 59 fotos.

Caravanas da Anista

A coleção reúne o registro fotográfico das Caravanas da Anistia, atividade pedagógica realizada pela Coissão de ANistia do Ministério da Justiça, iniciada em 2008. Documenta 77 eventos realizados.  + de 13 mil fotos.

Tribunal Russell II

Sobre a repressão na América Latina.  233 fotos.

REALIZAÇÃO

APOIO

PRÊMIO EM DIRETOS HUMANOS – DHNET

DESENVOLVIDO POR ARMAZÈM MEMÓRIA

COORDENAÇÃO: MARCELO ZELIC

marcelozelic@gmail.com

TECNOLOGIA