Julgamentos do Fascismo

Tribunal de Nuremberg

Tribunal Militar Internacional para julgamento dos crimes de guerra, crimes contra a paz e crimes contra a humanidade praticados por ofíciais nazistas durante a II Guerra Mundial.

“que tempos são estes que temos de defender o óbvio”.

Bertolt Brecht

O fascismo de tempos em tempos arrebanha fileiras para a violência, a prepotência, o preconceito, a intolerância existencial, cultural e política, semeando terror, dor e ignorância. Diga não ao fascismo, não se cale ou intimide frente a um fascista.

Com Julgamentos do Fascismo o Armazém Memória rememora o fim destinado àqueles que durante o regime nazista cometeram crimes contra a humanidade, para que no Brasil de hoje, tão infame ideologia não prospere. NÃO PASSARÃO!

MOSTRA

Documentários

FASCISMO MATA

Conheça o fascismo e se aparta dele.

Julgados

Sentenças

ESQUECIMENTO JAMAIS

Os Princípios de Nuremberg

Em sua primeira sessão de 11 de dezembro de 1946, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou por unanimidade uma resolução afirmando “os princípios do direito internacional reconhecidos na Carta do Tribunal de Nuremberg e na sentença deste Tribunal”. Quatro anos depois, a Comissão de Direito Internacional da ONU apresentou sete princípios a serem observados na elaboração de um Código de Crimes contra a Paz e a Segurança da Humanidade. Isso significava que os Princípios de Nuremberg não se aplicavam mais apenas aos crimes do regime nazista: eles haviam assumido uma validade universal.

1. Qualquer pessoa que cometer um ato que constitua um crime de acordo com o direito internacional é responsável por isso e passível de punição.

2. O fato de que o direito interno não impõe uma pena para um ato que constitui um crime nos termos do direito internacional não exime a pessoa que cometeu o ato de responsabilidade nos termos do direito internacional.

3. O facto de uma pessoa que cometeu um acto que constitui um crime ao abrigo do direito internacional ter agido como Chefe de Estado ou funcionário público responsável não a isenta de responsabilidades ao abrigo do direito internacional.

4. O facto de uma pessoa ter agido por ordem do seu Governo ou de um superior não a exime das responsabilidades ao abrigo do direito internacional, desde que uma escolha moral lhe fosse de facto possível.

5. Qualquer pessoa acusada de um crime de acordo com o direito internacional tem direito a um julgamento justo sobre os fatos e a lei.

6. Os crimes a seguir indicados são puníveis como crimes de direito internacional:
 a. Crimes contra a paz,
 b. Crimes de guerra,
 c. Crimes contra a humanidade.

7. A cumplicidade na prática de um crime contra a paz, um crime de guerra ou um crime contra a humanidade, conforme estabelecido no Princípio VI, é um crime de direito internacional.

“The Blue Series”

É o registro oficial do julgamento dos principais civis e líderes militares da Alemanha nazista que foram acusados de crimes de guerra. Os acusados ​​foram: Hermann Wilhelm Göring, Rudolf Hess, Joachim von Ribbentrop, Robert Ley, Wilhelm Keitel, Ernst Kaltenbrunner, Alfred Rosenberg, Hans Frank, Wilhelm Frick, Julius Streicher, Walter Funk, Hjalmar Schacht, Gustav Krupp von Bohlen und Dönitz, Erich Raeder, Baldur von Schirach, Fritz Sauckel, Alfred Jodl, Martin Bormann, Franz von Papen, Arthur Seyss-Inquart, Albert Speer, Constantin von Neurath e Hans Fritzsche.

Armazém Memória

menos armas mais livros

BRASIL NUNCA MAIS

Biblioteca, Hemeroteca, Documentos, Legislação.

 

 

 

1.230.795 páginas

LUTA PELA TERRA

Biblioteca, Hemeroteca, Documentos, Legislação.

 

26.922 páginas

INDÍGENA

Biblioteca, Hemeroteca, Documentos, Legislação.

 

 

549.778 páginas.

MOVIMENTO SINDICAL

Biblioteca, Hemeroteca, Documentos, Artigos, Atividades.

 

 

35.224 páginas.

PAULO FREIRE

Biblioteca.

 

 

5.614 páginas.

DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

Biblioteca, Documentos, Legislação.

 

 

7.658 páginas.

REFORMA SANITÁRIA

Biblioteca, Hemeroteca, Documentos, Artigos.

 

 

10.278 páginas.

centros de referência virtuais

sites temáticos

JUstiça de transição

memória, verdade, justiça, reparação e não-repetição.

“Educação não transforma o mundo.

Educação muda as pessoas.

Pessoas mudam o mundo”.

Paulo Freire

Educador

Copyright © 2021 All right reserved.