CASO 1: PARÁ

Extermínio como forma de limpar o território.

Denúncia realizada em 2014